Filhos em casa e aulas online

Os impactos causados pela pandemia do novo corona vírus (COVID-19) são graves, não somente na área da saúde, mas também em outros setores de nossa sociedade, como no ensino, que buscou na educação online uma saída.

Na educação, 1,5 bilhão de estudantes chegaram a ficar com aulas suspensas. Pais de todo o mundo passaram a viver em confinamento com os filhos em casa.  

As escolas de ensino infantil, fundamental e médio têm sido as que mais estão sofrendo com os impactos da covid-19 na grade e no modo de ensino.

Mas e em casa? Como lidar com essa situação?

Se tratando de crianças pequenas é melhor intercalar atividades e brincadeiras. Os mais pequenos dificilmente ficam atentos ao conteúdo por um longo tempo, é preciso saber equilibrar.

Exemplo: nos intervalos de uma atividade para outra; uma atividade de pintura e depois deixe brincar livremente.

Já os maiores, a dica é observar o material que está disponível na internet. É interessante que os pais assistam antes as aulas, preparem atividades e depois acompanhem os filhos, tirem dúvidas e confiram se, de fato, aquele conteúdo foi assimilado.

Diquinhas:

1 – Diálogo

Mantenha diálogo constante com a criança e dê feedbacks (retornos) à escola sobre o desempenho dela nas atividades. O diálogo é ainda mais necessário se o aluno tiver algum diagnóstico de hiperatividade ou ansiedade, por exemplo, ou apresentar outros tipos de problemas na absorção dos conteúdos. Esteja aberto a ouvir o que a criança e escola têm a falar.

2 – Rotina e disciplina

Mantenha uma rotina clara, estabelecendo direitos e deveres da criança. Ela deve estar ciente de suas metas diárias e das restrições que serão impostas, caso não cumpra suas obrigações escolares. Se ela irá ou não usar uniforme ou o local ideal e exclusivo para os momentos de estudo devem ser definidos previamente. De preferência, com a anuência da criança e da escola.

3 – Menos cobrança 

A cobrança extrema para que o aluno cumpra tudo o que for estabelecido pelos pais e pela escola, sem oferecer parceria ou apoio em troca, pode tornar o processo de aprendizado ainda mais complicado. Por isso, imponha limites, mas cobrando menos e apoiando mais.

4 –  Mais criatividade

Assim como os professores, os pais também devem se esforçar para usar a criatividade e tornar o processo de aprendizado mais eficiente e prazeroso para seus filhos.

5 – Incentivo e elogio

O aprendizado on-line e o próprio contexto da pandemia são obstáculos enfrentados por adultos e ainda mais difíceis para as crianças. Por isso, sempre que possível, incentive e elogie o seu filho. Isso o estimulará a aprender, a recorrer mais à criatividade e a se envolver mais nas atividades.

6 – Parceria e respeito

Se mostre como um parceiro da criança, respeitando o seu tempo de aprendizagem. Não subestime as suas dificuldades e ajude-a a encontrar soluções. Isso não quer dizer que os pais devem fazer as atividades no lugar dos filhos. Evite essa prática. Os pais devem estender a parceria à escola e aos professores para que todos cheguem a um consenso, priorizando sempre o que for melhor para o aluno, a partir de suas especificidades.

Apesar da gravidade do momento, esse é um tempo que os pais devem aproveitar para se conectar mais com os filhos. Sempre temos boas lembranças da infância, que esse seja de boas recordações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s